A Bailarina – Crônica Parte I

A Bailarina – Crônica Parte I

Sim, era uma menina travessa, gostava da liberdade de brincar na areia fina e fofa ao lado da casa onde morava. Sempre criava brincadeiras ou aventuras bem diferentes da grande maioria das crianças.

Na pequena escola também era assim, as ideias eram tidas como “do outro mundo” e veio o momento de mudança. Mudar de escola. Chegou ao novo colégio com entusiasmo, o único incômodo era a nova mochila infantil. Ficou arrasada quando abriu o presente que sua tia dera. E lá estava ela, na frente do prédio.

bailarina-cronica-parte-i-OESTILO3

O primeiro ano no novo colégio foi bem mais difícil, mas estava satisfeita consigo. A alegria, criatividade e o fato de ser prestativa foram as estratégias para ser querida e ovacionada pelas pessoas ao seu redor no novo ambiente. Conquistou rapidamente a todos, além de ser especialista quando se falava no seu maior sonho: BALLET.

Sim, no estúdio de dança se realizava por completo, era a mais disciplinada das alunas, conseguia se concentrar em cada palavra e movimento, que repetia com destreza. Elogios eclodiam sempre da orientadora, e todas as meninas ficavam encantadas com alguns detalhes…

A chegada no ensino fundamental II foi muito esperada, porém trouxe a primeira nota abaixo da média: 6,0. Esse momento marcou profundamente, além de ficar guardada a sensação de que era uma garota “burra”, e infelizmente as notas ficaram na média o restante daquele ano, e outros pequenos deslizes ocorreram. A sorte foi que a prova anterior tinha sido muito boa e deu tudo certo.

bailarina-cronica-parte-i-OESTILO4

Aos poucos as coisas começaram a complicar e, do nada, simplesmente o professor explicava, fazia rimas brincava e ela não compreendia. O nome dele continuaria na sua memória sempre, mas ela ainda não sabia disso.

O quadro branco parecia uma mancha com números grandes e outros menores na parte de cima, que chegavam a ser confundidos. Tinha uma pequena noção do que estava ouvindo, mas balançava a cabeça afirmativamente quando vinha a pergunta: “– Nina, está compreendendo?” A resposta sempre positiva, negava o medo de ser vista como “burra”.

Após o episódio da nota baixa, jurou a si mesma que isso não voltaria a acontecer…

portal-oestilo-apresenta-nayane-queiroz-coach-infantojuvenil-7

Nayane Queiroz Marrocos
(85) 3103.0507
(85) 999.58.6711
Instagram – @coachingkidseteens
Facebook – /coachingkidseteens

 

(Foto: Reprodução / Internet / Google)