Bright – A nova onda da Netflix

Bright – A nova onda da Netflix

Como prometido no texto anterior, trazemos hoje um filme da Netflix. Nada melhor que começar o ano, falando sobre um dos filmes de maior popularidade dessa produtora. BRIGHT, sob a direção de David Ayer, tem ajudado a fazer a empresa dar um grande voo nos quesitos cinematográficos e, com ele, quem sabe até podemos dizer que subiu mais um degrau na escala de qualidade de suas produções.

bright-nova-onda-da-netflix-OESTILO2

Estreado no final de 2017 pelo próprio streaming da produtora, o filme traz a tona uma gama de qualidades do cinema moderno. Algumas interpretações podem certamente tirar a magia da originalidade, mas a sua produção não deixa a desejar em muitos aspectos abordados. Além de um belíssimo roteiro, o filme é estrelado por nada mais nada menos que Will Smith.

bright-nova-onda-da-netflix-OESTILO5

Em seu primeiro trabalho pela Netflix, o ator disse estar surpreso por tamanha repercussão e visibilidade que o filme teve, pois não foi para as telonas e mesmo assim conseguiu uma grande popularidade. O fato de ter ficado somente a disposição no site por assinaturas está fazendo Hollywood rever alguns conceitos em suas plataformas de transmissões, pois cada dia que passa a revolução midiática cresce cada vez mais.

bright-nova-onda-da-netflix-OESTILO4

Muito embora o filme seja uma ficção com muita ação e magia na veia, todos os elementos abordados não o fazem fugir do contexto da narrativa. Sua trama pode ser considerada, de certo modo, baseada em elementos do cotidiano. Os temas abordados, mesmo que fictícios, possuem um pé na realidade e com isso adentram no universo da diversidade cultural.

bright-nova-onda-da-netflix-OESTILO3

Tendo se passado na cidade de Los Angeles, uma das maiores e mais populosas cidades do mundo, o enredo aborda questões como o crime e a aplicação da lei dentro das diretrizes da realidade transmitida. Sem dúvidas um tiro certeiro dado pela Netflix. Uma mesclagem de cinema “Blockbuster” com “Futurista” em um ambiente de caos e desunião.

Seria isto somente uma mera coincidência com o mundo em que vivemos?

 

(Fotos: Reprodução / Internet)