Desfiles DFB Festival 2017: Rendá por Camila Arraes e Kallil Nepomuceno

Desfiles DFB Festival 2017: Rendá por Camila Arraes e Kallil Nepomuceno

Rendá por Camila Arraes

desfiles-dfb-festival-2017-renda-por-camila-arraes-kallil-nepomuceno-OESTILO3

Inspirada no artesanato característico do Nordeste, a Rendá nos apresentou uma coleção que valoriza o trabalho handmade típico das rendeiras nordestinas, principalmente a nobre arte da renascença.

Com uma coleção de encher os olhos, a marca, que trabalha com peças 100% artesanais, nos encantou com peças bordadas delicadamente de forma manual e que fazem todos babar com tamanha delicadeza.

desfiles-dfb-festival-2017-renda-por-camila-arraes-kallil-nepomuceno-OESTILO4

Com todo primor e sofisticação impressos nos detalhes de cada look, a Rendá fez uma releitura da renda renascença, fazendo um mix de peças de caráter atemporal com peças produzidas em diferentes matérias primas que remetem à modernidade.

A cartela de cores utilizada na coleção transita entre a delicadeza e a irreverência da mulher nordestina, contendo o branco, verde, vermelho e preto. Um dos conceitos gravados fortemente na coleção de Rendá por Camila Arraes é a valorização da tradição das rendeiras, resgatando a força e feminilidade da mulher brasileira e mostrando a nossa arte em forma de artesanato.

(Fotos: Reprodução / Rayadna Melo)

Kallil Nepomuceno

desfiles-dfb-festival-2017-renda-por-camila-arraes-kallil-nepomuceno-OESTILO1

Kallil Nepomuceno nos levou a um universo glamouroso e cheio de brilho. O estilista explorou uma mulher contemporânea, com referências no street fashion.

O uso de transparências revela uma estamparia de cadeado e chaves. Vários aspectos da moda dos Anos 80 foram exibidos durante o desfile, como macacões e o rock glam que trouxe as taxas douradas e tons de dourado em mix com o preto.

Um dos materiais utilizados que foge completamente do óbvio na coleção de Kallil foi o veludo, que aparece imitando um jeans cru e sem lavagens. A cartela de cores dos looks transitam entre o preto, o dourado e o azul.

desfiles-dfb-festival-2017-renda-por-camila-arraes-kallil-nepomuceno-OESTILO2

O desfile nos deu aquela vibe de balada. O ambiente foi criado como se fosse acontecer uma festa e todos os detalhes contribuíram para isso, inclusive a trilha sonora.

A mulher que Kallil Nepomuceno exibe não é uma mulher comum, é ousada, divertida e sabe o poder que tem em si. A coleção transita em uma atmosfera de formas, brilho e estampas que remetem a uma nova fase na carreira do estilista.

(Fotos: Felipe Araújo)