A história da moda – Década de 1910

A história da moda – Década de 1910

Antes de iniciar o texto de hoje, queremos deixar aqui o nosso agradecimento pelos comentários sobre a última matéria, onde abordamos algumas cores e os seus significados. Foi ótimo saber que muitas pessoas resolveram inovar sob influência do nosso texto!

E agora, com a primeira matéria de moda do ano, vamos começar com uma série contando por década um pouco da história da moda feminina. Vamos trazer aqui o século vinte e depois o atual. Pensamos que é interessante mostrar o quanto a moda está ligada à história do mundo. Então vamos trazer os fatos e como eles provocaram mudanças na forma de vestir.

Início da década de 1910.

Início da década de 1910.

A própria palavra moda já explica que isso não é um assunto frívolo, afinal, moda trata-se de um costume que está em evidência num determinado lugar, durante certo tempo. É uma tendência adotada por uma grande parte da sociedade.

Hoje em dia, a moda no vestuário é muito mais democrática, as pessoas são livres para usar aquilo que as deixam mais confortáveis. Mas, no início do século passado não havia toda essa liberdade e as mulheres, principalmente, eram obrigadas a vestir o que era tido como belo, mas que nem sempre ou quase nunca era confortável.

Fim da década de 1910.

Fim da década de 1910.

No início da década de 1910 ainda não havia praticidade nas roupas, usavam-se muitos espartilhos e saias cheias para melhorar as curvas. Os chapéus eram acessórios essenciais. Gastava-se muito tempo para conseguir se vestir para sair de casa. Mas, com o início da Primeira Guerra Mundial centrada na Europa, em 1914 surgiu um estilo mais unissex, digamos. As mulheres que antes só cuidavam das tarefas do lar começaram a executar tarefas que só eram realizadas por homens. Isso aconteceu devido ao fato dos maridos estarem participando da guerra ativamente, nos campos de batalha. Então, com uma nova vida, essas mulheres precisavam de praticidade, e isso encurtou o comprimento de vestidos, das saias e até dos cabelos! Elas tinham menos tempo para cuidar tanto da imagem.

Estilista Paul Poiret.

Estilista Paul Poiret.

O estilista famoso da época era o francês Paul Poiret. Ele liberou as mulheres das roupas apertadas criando vestidos soltos. Só para situar, ele foi o primeiro costureiro a ter seu nome em marca de perfumes e cosméticos, o que aconteceu dez anos antes de Chanel. E, até hoje, essa é uma estratégia praticada por grandes estilistas.

No Brasil, nos primeiros anos da década, mais precisamente em 1911, temos a fundação do Theatro Municipal de São Paulo, que torna-se palco de um verdadeiro exibicionismo da moda da alta sociedade.

A primeira loja Mappin surgiu no final de 1913, também em São Paulo, trazendo moda inspirada no mercado europeu e americano. Ela fez parte da nossa história por muitas décadas, tornando-se ponto de encontro da elite paulistana da época.

Mappin.

Mappin.

E por aqui as coisas também já vinham mudando, o comprimento das saias subiu para o tornozelo e o sutiã surge como nova peça do vestuário.

Ufa! Quanta informação, não é mesmo? Mas é interessante enxergar a moda pelo contexto histórico. Enfim, tentamos trazer fatos relevantes para a década de 1910.

Aguardem os próximos textos com mais história!