O Cinema Brasileiro e a sua nova roupagem

O Cinema Brasileiro e a sua nova roupagem

Não restam dúvidas que dos anos 2000 em diante o conteúdo abordado nos filmes nacionais tem se dividido em gêneros.

Essa afirmação pode soar bem confusa na sua cabeça, porém aqueles espectadores que iam à locadora e queriam ver filmes nacionais, só conseguiriam escolher os filmes procurando em Cinema Nacional!

Independente de ser lançamento ou não, eles estavam empilhados e organizados bem como suas próprias características. Todos juntos e misturados.

Central do Brasil.

Central do Brasil.

Não é a toa que já com esse preconceito engajado em nossa cultura, o cinema brasileiro e nossas produções sempre foram vistos pela mídia nacional com características depravadas e conteúdo um tanto quanto limitado. Porém, essa realidade tem se mostrado bem distante comparado ao respaldo e qualidade dos nossos filmes atualmente.

A pura prova disso pode ser encontrada em filmes como “Cidade De Deus”, “Central Do Brasil”, “Tropa De Elite”, “Polícia Federal – A Lei é Para Todos”, “Trash – A Esperança Vem Do Lixo”, etc.

Cidade de Deus.

Cidade de Deus.

Esses filmes, de certo modo, conseguiram mudar a visão internacional e a má fama que o cinema brasileiro apresentava. Mesmo com a realidade sendo uma característica peculiar e comum nos filmes nacionais, o nosso cinema conseguiu ir para outro patamar depois de alguns desses lançamentos.

Ganhamos mais respaldo e conseguimos atingir um ótimo reconhecimento pela mídia internacional. É fato que os filmes brasileiros ainda estão muito longe de se comparar a outros internacionais, porém estamos progredindo para chegar lá, e em uma velocidade muito grande.

Tropa de Elite.

Tropa de Elite.

Basta pegar as produções dos anos 80 até os tempos de hoje. Pode-se reparar um crescimento de mais de 100% em todos os quesitos. A única coisa que ainda deixa o cinema nacional preso nos trilhos é somente a falta de grandes produtoras e empresas que acreditem em nosso potencial de mercado, pois as condições dos artistas brasileiros ainda chegam a ser muito limitado, e sempre acabam sendo monopolizadas.

 

(Fotos: Reprodução / Internet)