Pensamentos e você: quem está no controle?

Pensamentos e você: quem está no controle?

Você já se fez essa pergunta?

De uma maneira geral, você controla seus pensamentos ou acaba se deixando ser controlado por eles?

O assunto é clichê, eu sei. Mas não custa fazer uma revisão mental só pra ter certeza, né? Bom, há rumores de que geramos 70 mil pensamentos por dia. Tem noção do que isso significa? É muita informação. Sem contar que pensamento gera sentimento, então é certo de que seu estado de espírito está realmente ligado a tudo o que se passa na sua mente. É aí que mora o problema. O que se passa na sua mente?

Bom, é claro que não dá pra ocupar nosso cérebro o tempo todo com pensamentos fofinhos, coloridos e cheios de positividade. Mas cá entre nós, temos uma certa inclinação para o lado negativo da força, mesmo que a gente não queira admitir. E o pior: o associamos à realidade, como se a vida nos trouxesse mais coisas ruins do que boas. Quer um exemplo? Quando alguém fala que tomou certa decisão e que aquilo provavelmente lhe trará péssimas consequências, se dissermos para que mude o tipo de expectativa a pessoa prontamente responderá: “estou apenas sendo realista”. Então, me vem a pergunta: por que a realidade está sempre nos decepcionando?

Ah, pode até não parecer, mas isso também está ligado ao que a gente pensa. Somos um tanto mimados e queremos que tudo aconteça ao nosso modo, mas não nos damos o trabalho de olhar as coisas por um outro lado e perceber que, mesmo que o desfecho não seja aquilo que planejamos, não é necessariamente ruim para nós. O ponto de vista também é fruto dos nossos pensamentos e se encaramos quase tudo o que nos acontece como negativo, então realmente será, entende?

Sem contar que dá uma trabalheira pensar positivo. Sim, é verdade. Porque implica em reeducar a mente. Eu não sei por que cargas d’água, mas nós, seres humanos, temos uma inclinação natural para pensar que vai dar errado, que não é a nossa vez, que não temos sorte. Talvez seja uma defesa natural, o medo da frustração, então a evitamos nos frustrando antes mesmo da tentativa. Mas isso não faz muito sentido, né? Pois é. Só que é a isso que estamos acostumados. Porém, o costume pode ser mudado. Então hoje lancei um desafio para mim mesma: menos negatividade e mais força de vontade. Porque é preciso um desejo enorme pra conseguir lutar contra esse vilão chamado pensamento. Mas se a gente vence a batalha, ele passa a ser nosso aliado em todo e qualquer momento.

E você, topa o desafio?

Fotos: Daniel Ferreira