Semana de Alta-Costura Verão 2017 – Dias I e II

Semana de Alta-Costura Verão 2017 – Dias I e II

A Semana de Alta-Costura Verão 2017 começou na última segunda-feira, dia 23 de janeiro, em Paris. O Portal OESTILO vai trazer para vocês a análise dos principais desfiles, mas já adiantamos que, infelizmente, nessa temporada o Atelier Versace não apresenta coleção com desfile, há duas temporadas a marca se limita a fazer uma apresentação menor, somente para poucos convidados e jornalistas.

SCHIAPARELLI

Desfile Schiaparelli.

Desfile Schiaparelli.

Abrindo a Semana de Alta-Costura Verão 2017, a marca Schiaparelli começou sua coleção com uma homenagem a sua fundadora, Elsa Schiaparelli, apostando em belos quimonos e hanfus, que ela usava em casa. A coleção marca pela modelagem geométrica bem estruturada e pelo símbolo de buraco de fechadura usado em alguns dos decotes. O memorável vestido-lagosta que imortalizou Elsa Schiaparelli também apareceu em uma nova versão, além de referências a armaduras de samurais e a terninhos muito elegantes.

CHRISTIAN DIOR

Desfile Dior.

Desfile Dior.

O desfile da Dior nessa temporada foi um dos mais esperados. Foi a estreia de Maria Grazia Chiuri na alta-costura da marca. O cenário do desfile foi um encantado jardim secreto, bem num clima natureza, por isso estavam presentes animais (atenção aos colares com borboletas e às marcaras com morcego), flores, plumas e o trevo de 4 folhas, símbolo da sorte. Vimos plissados e transparências em visuais mais delicados, sempre em coerência com um universo místico, como mostra o vestido bordado com simbologias do zodíaco. Podemos esperar muitas homenagens por vir, já que a marca está completando 70 anos de existência. Nesse desfile mesmo Maria Grazia remete ao lado místico do fundador, colocando cartas de tarô penduradas nas árvores. No início da apresentação vimos looks de alfaiataria mais escuros, ficando a parte mais mágica pro final, com vestidos dignos de tapete vermelho.

CHANEL

Desfile Chanel.

Desfile Chanel.

O segundo dia do evento começou com nada menos que o desfile da Chanel, onde foi possível ver todo o brilhantismo de Karl Lagerfeld. Com uma coleção que celebrou o poder da mulher, a homenageada maior, como não poderia deixar de ser foi Coco Chanel, fundadora e símbolo maior do que a marca representa até hoje. Lagerfeld, que costuma remeter a símbolos clássicos, dessa vez usou a escadaria espelhada da Rue Cambon, usada como referência no cenário e nos looks metalizados – espelhados (scarpin prata). Ele também cresceu os ombros (de forma mais suave), usou tailleurs com cintos grossos marcando a cintura e ressaltando a silhueta. O volume típico dos anos 1980 foi usado sem medo, uso de plumas com efeito peludo e cascatas de babados e o rosa millennial num vestido de noiva deram o arremate final dessa mulher supermoderna.

GIORGIO ARMANI PRIVÉ

Desfile Giorgio Armani Privé.

Desfile Giorgio Armani Privé.

O desfie de Giorgio Armani foi marcado pelo laranja supersaturado, ou seja, bem explosivo e solar, que trouxe vida nova à alta-costura da marca. O ponto de partida foi a cor mega vibrante, mas a coleção se apresentou muito luxuosa, com inspirações nos arabescos norte-africanos, com caftans, capas e coletes. Algumas peças vieram com bordados bastante detalhados que mais pareciam joias preciosas com cristais de diferentes formas e tamanhos. Com drapeados com proporções arquitetônicas e bem complexas, as saias remetiam às curvas dos elementos decorativos otomanos. O desfile foi simplesmente muito luxuoso e podemos apostar em vários dos vestidos desfilando nos próximos tapetes vermelhos.

 

(Fotos: Reprodução / FFW)