SPFW 20 – Vitorino, Iódice, GIG, Pimenta, Patbo

SPFW 20 – Vitorino, Iódice, GIG, Pimenta, Patbo

Segundo dia de desfiles na Bienal e separamos o que rolou de bom nos desfiles. Confira abaixo!

Vitorino Campos

Esse moço baiano há muito vem despertando olhares, seja quando ainda estava começando no Dragão Fashion Brasil, seja quando entrou no circuito do SPFW, ou ainda quando assumiu a direção de estilo da Animale. O certo é que Vitorino ganhou mesmo minha atenção agora, colocando na passarela uma coleção inspirada no filme Interstellar. O universo, a física quântica e todo o mistério das galáxias é tema recorrente na vida e nas criações dele, e dessa vez não foi diferente. As estampas vieram em alusão ao novo planeta rosa que a NASA recentemente descobriu, os shapes fluidos cheios de leveza se contrapõem aos looks jeans crus, sem lavagens ou beneficiamentos, e os casacos metalizados. Os looks masculinos são a novidade dessa coleção, já que anteriormente o estilista trabalhava apenas o feminino, mas sempre com sua veia minimalista e cortes limpos.

FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO CRIATIVA: Vitorino Campos

STYLING: Michael Vendola

DIREÇÃO DE DESFILE: Daniel Freire

BELEZA: maquiagem por Fabiana Gomes e cabelo por Helder Rodrigues

TRILHA: Max Blum

DIREÇÃO GERAL: Natalia Trocoli

Iódice

Hoje quando eu penso em um desfile cheio de referências lindas eu penso no desfile da Iódice, cheio de perfume da Belle Èpoque em propostas modernas, românticas e sensuais. Inspirada no filme “Morte em Veneza“, a coleção vem com elementos de uma sociedade libertadora, onde o urbano se sobressai. As rendas, os babados e as sedas trazem o lado feminino à tona, a cartela de cores passeia do azul marinho ao rosê, do verde militar aos tons pastel. Shapes longilíneos, fendas, transparências, calças amplas, tramas de couro, tricot artesanal, bordados e cristais mostram uma mulher forte. Destaque pras boinas, pro truque de styling do cinto (já conhecido nosso) e pras sandálias de tiras maravilhosas!

FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO CRIATIVA: Waldemar Iódice

ESTILO: Simone Nunes

STYLING: Pedro Sales

BELEZA: Rodrigo Costa e Fabiana Gomes – MAC (maquiagem)

DIREÇÃO DE DESFILE: Zee Nunes

TRILHA: Max Blum

TEMA: O filme “Morte em Veneza”

GIG Couture

A GIG Couture é uma brand mineira velha conhecida nossa de Minas Trend Preview, Gina Guerra e Patricia Schettinosão as responsáveis pela direção criativa da marca e trouxeram para essa edição do SPFW, o seu Inverno 2016 com um mood Art Déco Tropical. Com inspiração nas obras do artista francês Adrien Jaques Garcelon, a marca propõe toques tropicais que, unidos ao Art Déco, resultam em uma coleção leve, fresh e com a cara do inverno brasileiro. Assimetrias, leves transparências e muitas estampas encheram a passarela da GIG nesta temporada. A linha de acessórios foi criada em parceria com a LOOL, de Luiza Setubal, e compõe a coleção com brincos, colares, bolsas e cintos cheios de bossa.

FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO CRIATIVA: Gina Guerra

STYLING: Daniel Ueda

BELEZA: Robert Estevão

TRILHA: DJ Bitt

TEMA: Art Déco Tropical, com inspiração no trabalho do artista francês Adrien Jacques Garcelon misturado ao esporte e pitadas dos anos 90

João Pimenta

O homem de João Pimenta é real, trabalha, anda na rua, vai a reuniões, bares, festas. Essa aproximação com o cliente foi resultado do desejo do estilista, e trouxe para as roupas detalhes e acabamento que satisfazem todos os gostos. aproximação com o guarda-roupa feminino também é evidente nos detalhes de textura, babados nas lapelas, flores, adornos e laços,  diluindo as fronteiras de gênero também pelo ponto de vista da moda masculina. O tema foi a alfaiataria clássica com diferencial nos detalhes e ícones brasileiros conhecidos reinterpretados, a cartela de cores variou em preto, branco, cinza, azul e tons de verde e amarelo.

FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO CRIATIVA: João Pimenta

STYLING: Paulo Martinez

BELEZA: Ricardo dos Anjos

DIREÇÃO DE DESFILE: Roberta Marzolla

TRILHA: DJ Zé Pedro

PatBo

O universo nômade dos Vickings foi a grande inspiração de Patricia Bonaldi para a sua coleção de Inverno 2016. Dentro de um universo rústico os tecidos vinham com aquele aspecto de pele, couro curtido, capas que nos leva direto ao mundo bárbaro, onde tranças, chifres e canecas de cerveja viraram caricaturas. O bordado, tão presente na marca, deu espaço a outras técnicas no adorno das peças como as marrações com nós de marinheiro e franjas. Capas, saias midi e midi, decotes, fendas; na cartela de cores tons terrosos, azul, preto, off white.

FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO CRIATIVA: Patricia Bonaldi

STYLING: Pedro Salles

BELEZA: Henrique Martins

DIREÇÃO DE DESFILE: Zee Nunes

TRILHA: Max Blum

TEMA: Vicking nômade

Fotos: Agência Fotosite/ Divulgação