Um pouco de história da moda

Um pouco de história da moda

Semana passada nós falamos sobre ser criativos e transformar uma peça antiga em nova. Isso nos fez pensar na década de 40, no período da Segunda Guerra Mundial, quando houve racionamento de tecidos. E no texto de hoje vamos falar um pouco sobre essa época.

Em 1942, o governo britânico estabeleceu uma lei que dizia ser ilegal e falta de patriotismo os estilistas enriquecerem as roupas com muito tecido e detalhes. Dessa forma, era ilegal costurar pregas, bolsos, botões ou qualquer coisa que fosse muito exuberante.

Roupa masculinizadas.

Roupa masculinizadas.

Nesse período, as mulheres já inseridas no mercado de trabalho precisavam de um visual mais prático e também economizar. Isso levou muitas mulheres a começarem a costurar de casa. Mas, somado a isso, tinha também a questão da falta de material para costurar. O que resultou na construção de peças com restos de tecidos usados nas roupas dos maridos.

Daí surgiram os visuais masculinizados e também formas mais simples.

Poucos opções de tecidos e falta de material para costurar.

Poucos opções de tecidos e falta de material para costurar.

E agora a informação que achamos mais interessante: Por conta do racionamento, o governo incentivava a customização. Então, as mulheres que sabiam costurar acabaram criando peças de artigos inesperados, como, por exemplo, de lençóis, fronhas, cobertores, que iam ganhando nova forma e se transformando em uma peça de vestuário.

As meias-calças desapareceram do mercado, pois não havia seda. Então, a mulherada passou a usar lápis do tipo delineador para imitar a risca da meia nas pernas.

Falta de meia-calça no mercado.

Falta de meia-calça no mercado.

Viram só como essa história de reinventar a moda é antiga? Hoje vivemos numa época onde temos de tudo em excesso, mas pode chegar um momento em que a natureza não vai dar conta de suprir essa quantidade toda. Ou até mesmo uma terceira guerra mundial. E aí não haverá outra saída a não ser recriar, reciclar, reutilizar, reaproveitar.

 

(Fotos: Reprodução / Internet)