Viagem com Estilo ao Butão: O país da felicidade

Viagem com Estilo ao Butão: O país da felicidade

No mundo em que vivemos, sempre estamos procurando a felicidade plena, onde tudo é alegria, tranquilidade e uma paz interior. Eu mesmo encontro a minha felicidade em pequenos gestos, viajando, curtindo meu amor, brincando com meus pequenos, estando com amigos e aproveitando os momentos em família. Agora, imagina juntar boa parte disso tudo em um país que todos são felizes e essa felicidade é contagiante. Isso mesmo, esse país existe e se chama Butão.

O Butão é um autêntico reino budista no Himalaia representado por um cenário de tirar o fôlego e uma vibrante cultura. O pequeno país compartilha com o Nepal as maiores concentrações de montanhas do planeta, bem como a herança viva do Budismo. Os 50 minutos que duram a viagem de Kathmandu (Nepal) até Paro (Butão) podem ser descritos como um voo dentro da fantasia. Durante o voo temos em primeira mão uma vista dos Montes Everest, Kanchenjunga e outros famosos picos. A oferta de dois voos semanais entre os dois reinos, Nepal e Butão, tornou mais fácil viajar para o distante país.

Durante o voo para o Butão é possível ver o Monte Everest e outros famosos picos.

Durante o voo para o Butão é possível ver o Monte Everest e outros famosos picos.

O Butão está na Ásia, entre dois gigantes. Ao norte a China e ao sul a Índia. Seu território é pequeno, do tamanho da região do Cariri, no Ceará. Tem áreas relativamente inexploradas, o que causa um maior controle do fluxo de turistas. Visando a proteção do meio ambiente e da autenticidade da cultura local, o governo controla o número de visitantes.

O reino isolado do Butão está entre os países que apresentam menor PIB, no entanto é o único lugar do mundo que tem como política pública uma maneira diferente de medir riqueza: A Felicidade Interna Bruta.

Ser feliz é coisa séria no Butão. O governo oferece condições necessárias para que a população tenha foco na busca da felicidade por meio dos ensinamentos do budismo. Os butaneses são simples, hospitaleiros e muito gentis. Não apresentam os sinais de estresse, pressa e impaciência tão comuns nas culturas ocidentais.

O Butão é um autêntico reino budista no Himalaia .

O Butão é um autêntico reino budista no Himalaia.

Dados gerais do Butão

Capital: Thimpu (2700m de altitude. Necessária aclimatação).
População: 700 mil habitantes.
Idioma: Tem como idiomas o Dzongkha (oficial) e o inglês. Não há serviços de guias falando espanhol e nem português.
Moeda: A moeda é o Ngultrum (Nu) 100 Chetrum = 1 Nu. Paridade com o Dólar é de aproximadamente US$ 1,00 = Nu 50,00. Rupias Indianas também circulam na economia local.
Como chegar: Por ser um destino distante, normalmente os roteiros turísticos envolvem outro país, como a Índia. De 6 a 7 dias no Butão é tempo suficiente para conhecer a região turística. Desde o Brasil, a melhor opção é via Emirates Airlines até a Índia (Delhi ou Calcutá) e de lá com a companhia butanesa Druk Air para a cidade de Paro.
Documentação: Para viajar ao Butão é necessário passaporte válido por pelo menos 6 meses e visto, o qual liberado através dos Operadores de Turismo Internacionais junto ao Governo. Nenhuma missão consular estrangeira concede o visto de turista para o Butão. Taxa para o visto é em média de U$40 por pessoa.
Principais cidades turísticas: Thimpu, Punakha e Paro (onde está o aeroporto do país).

A força do turismo local está nos interessados em cultura e tradições, religiosidade e arquitetura.

A força do turismo local está nos interessados em cultura e tradições, religiosidade e arquitetura.

Perfil de Turistas: O Butão tem grande parte do seu território formado por florestas, o que favorece o turismo de aventura como o trekking, porém esse turismo só atrai 4% dos visitantes. A força turística está mesmo nos interessados em cultura e tradições, religiosidade e arquitetura.
Clima e melhor época para visitação: Do sul do reino do Butão até a fronteira com a planície Indiana o clima é tropical. Já na parte leste o clima é mais quente do que no oeste. O vale central de Punakha, Wangdue, Mongar, Trashigang e Lhuntsi é semitropical e possui invernos frescos. Thimphu, Trongsa, Paro, Bumthang possuem verão agradável e invernos muito frios com quedas ocasionais de nevascas nos caminhos que levam a parte mais central do país. As monções (chuvas) geralmente iniciam-se no meio de junho e vão até o final de agosto. A partir de meados de setembro, após as últimas chuvas, chega o outono que é a melhor época para visitar este maravilhoso lugar.

O território de Butão é pequeno, do tamanho da região do Cariri, no Ceará.

O território de Butão é pequeno, do tamanho da região do Cariri, no Ceará.

Hotelaria: Butão tem como característica possuir dois tipos de hotéis: os de categoria turística ou cinco estrelas. As cadeias hoteleiras mais recomendadas são Uma e Taj. Em Timphu destaca-se o Taj Timphu e em Punakha o hotel Uma (luxo e exclusividade na montanha com apenas 8 apartamentos), de onde a vista para o vale de Punakha é exuberante. Em Paro também se destaca o hotel Uma. É 5 estrelas, com 21 apartamentos e salão de meditação.

Um lugar que não se pode deixar de conhecer e ver a felicidade e o sorriso contagiante.

*Todas essas informações estão sujeitas a alterações sem prévio aviso.
Procure sempre o seu agente de viagens para transformar seus planos em uma viagem de sucesso.

Apresentação-apoios-coluna-victor-para-OEstilo

(Fotos: Reprodução)